26 agosto 2007

Linguagem sem meta



Peço passagem, licença
sem ofensa ou desavença
Para sua mente
Que não mente
Insanamente

Adote uma rima
Ela é pobre, vai notar
olhe com carinho
não fique em cima
ela vai falar
viu que facinho?

Não falo de mim
Cara de carente
Pois aí só assim
Eu fico gente
Mais rica e faleira
Assaz agradecida
É claro, da minha maneira
Feliz da vida
Como a chaleira

1 co-mentários:

Francine disse...

Murilo, muito bacana! senti vc brincando com as palavras...essa leveza é contagiante!

Blogged.com