23 janeiro 2009

O Espelho de Narcizo


Quero deixar claro o bem que me faz
E assim fazendo, te faço mais
Roubando pra mim o que cada pedaço trás
O máximo que sou capaz

Pra mim você é assim, séria e sincera
Apaga um pouco do que ninguém afaga
Compra caro sem ter o faro
Pule o que eu engoli

Seja abstrato ou um trato
não me corrói nem dói
Se eu a quisesse pegar
às minhas mãos ia faltar
E não é por medo que eu a preservo
é pelo seu poder que eu me enxergo

15 janeiro 2009

Cronodiálise

Estava ele sentado observando a vida alheia
onde sorriam os viventes e seus dentes
Estava ele calado vivendo alheio
quando alado corria ao lado

E ele cobra os que cobram
e sobra cobra na manobra
sobre cobre na mão nobre
"eles que se dobrem"

Ela beija do meu lado
eu a vejo e me beijo
ela julga minha fuga
então me prendo e compreendo
que não estava perto nem esperto
estava longe como monge
mais endereço do que pareço

Estava eu sentado observando a vida dele
onde dormiam os dormentes zen
Estava eu calado vendo o tempo
quando o quando era mais do que com quem

09 janeiro 2009

Outono



Enfileiradas de forma anômala
compartilhando a desordem do mundo moderno
abarrotadas de desinformação
compradas pelas orelhas
sendo conceituadas pelas capas
que no começo vêm maduras desde criança
folha por folha
e saem, em sua maioria, secas ou podres
são elas ... as palavras dentro das idéias
cada vez mais as primeiras contorcem as últimas
e ai você pensa
tudo isso é pouco... sempre é.

Blogged.com