03 março 2015

Criando raízes

Ao estalar os dedos eu percebi que eles eram feitos de madeira. Boa parte de mim começou a ranger e parecer que estava estalando, a ponto de desabar.
Folhas cresceram em minhas pernas, mãos e braços. Meus pêlos se tornaram espinhos, mas não me machucavam.
Uma grande copa a minha cabeleira se tornou, e abrigo para alguns pássaros.
Meus pés ganharam formatos de raízes, e meus dedos se alongaram e entraram pela terra a procura de nutrientes e água.
Meus olhos agora não tinham mais utilidade, dada minha locomoção.
Eu não tinha mais pra onde ir, e ao invés disso agora todos estavam à minha busca, minha volta, em meu abrigo.
Eu não queria mais me mover, queria apenas tocar esse planeta que me segurou por alguns anos.
Faltavam essas raízes, faltavam os raios do sol que sempre me procurava.
Agora sou amigo do vento, da chuva e dos bichinhos que me usam como casa ou trampolim.
O tempo é meu carteiro e de agora em diante ele já sabe onde me encontrar.

Blogged.com