29 setembro 2008

Vice-verso



Já me doei de peito aberto
Me doeu por completo
Já fui direto no caminho certo
Pra ver de perto meu deserto

Já me fiz de inconsciente
Na frente de muita gente
Inventei um monte de lente
Que sente de forma diferente
Mas que ainda me deixa carente

Faltei com atenção
Fiz como a tradição
Mofei na estação
E não vi a exceção

Cobri o feio com bonito
Calei a voz com um grito
E me tornei no havia escrito

24 setembro 2008

Eu vou, cativo

Abra a mente
Abracadabra
Cometa suicídio
Cometa Halley
Curta o pouco
Curta metragem
Vista algo
Vista cansada
Controle-se
Controle remoto
Sinta dor
Cinta liga
Vem sem medo
Ventania
Passe bem
Passeata

18 setembro 2008

Emoções


     Depois de 1h naquela varanda do prédio, Fausto sabia que não era um bom lugar para se esconder.
     Acabara de matar seu patrão com 11 facadas.
     - Estou de férias! Melhor assim.
     Neste mesmo dia, seus números de aposta foram sorteados na loteria e ele estava agora milionário.
     - Foi uma atitude exagerada talvez, mas com ele no meu pé eu não conseguiria usufruir desse prêmio - dissimulava Fausto ao se afastar da varanda e ir de encontro ao elevador do seu andar.
     Agora no elevador ele sentia o sangue voltar a sua velocidade normal dentro das artérias e esfriar.
     - Não foi a sangue frio que fiz isso, agora sim eu tenho uma prova disso.
     Estranhamente ele via que agora sim começava a sentir o ambiente a sua volta. Matar, para Fausto, parece ter aflorado sua percepção.
     - Preciso decidir pra qual lugar eu vou... hum, 7º andar por favor! - falava ele ao funcionário do elevador.
     Chegando no 7º andar, viu que boa parte do que ele lembrava de lá estava agora com cores. Se tratava do andar no qual trabalhava uma amiga dele.
     Cubículos separados, pedaços superiores das cabecinhas se movimentando salientes das separações secretariais.
     Loira, bem vestida e dedos que teclavam rápido. Esta era sua visão.
     - Poliana, será que você poderia me dar a honra da sua companhia numa viagem?
     - Fausto, você sabe muito bem que estou trabalhando muito ultimamente... Não posso!.. Talvez em um dia de folga, se é que ele vai existir. Quando você está planejando?
     - Amanhã... hum, poderia ser agora?
     - Você está louco? Tenho um aluguel pra pagar esqueceu? rs Além do mais, estou sem dinheiro.
     - E se eu te dissesse que amanhã será feriado?
     - Depois a gente conversa, tá?! Estou ocupada.
     - Então, calmamente Fausto se dirige ao seu cubículo, pega sua faca e volta até Poliana. 11 facadas. Todos ao seu redor parecem não esboçar reação: colegas de trabalho, faxineira...
     Fausto olha para a tela do seu computador e acorda.
     Tudo voltara ao normal. Seu MSN estava online, e ele ansiava pela oportunidade de mandar um emoticon.

Blogged.com