14 maio 2012

Não sabia nada do agora

Nem quando nem com quem
É muito tempo, é tempo demais
Futuro que não volta atrás
É briga com o que já não pode mais

É menino solto
(Sabe-se lá)
É caminho certo
Pra quem nunca está
Ou se era ou será

Sabiá
Nade agora
Só tem asa pra voar?

Nem quando nem com quem
É muito tempo, faz tempo
É fruto que não cai
É um tudo que já não me atrai

É menino solto
(Sabe-se lá)
É caminho certo
Pra quem nunca está
Ou se era ou será

O nunca é confortável
Sempre, detestável
Repita aquela prece
Ande, se apresse

Nem quando nem com quem
É menino solto
É muito tempo, é tempo demais
É rio que não acaba mais

03 maio 2012

Desatino

Cheio de fome
Alimento sem nome
Engasgado, comendo nós
Existe resposta quando estamos a sós?

Tão raro, tão caro
Se não se paga adiantado, a vista
Se paga a prazo, pro infinito
Mas se paga

Ele mesmo não sabia o que era
Se ilha ou se quimera
Se no pico ou se na cratera
Sem planos, sem esferas

Sem fome
Cheio de nome
Se não é aquele que some
É o que consome

É contradito, o maldito
Inventa notas sem se notar
Adota uma postura
Exposta para atacar

Engasgado, comendo a sós
Existe resposta entre nós?

Cheio nota
Cheio de dó
Cheio de si
Cheio de tudo
Cheio de nada
Cheio da sobra de ser camarada

Blogged.com