07 novembro 2007

Cinzas de um sorriso



Queria não saber o que há por trás desse seu sorriso de sempre
Dividir o mesmo lugar e não sentir nada do que tudo em mim quer
Não pensar que por onde quer que eu vá vou levar você
Não juntar pra depois separar

Mesmo assim há insistência, pra variar
De pôr à prova o prazer
Da vida que só faz me contrariar
Pois eu escrevo pra quem nunca vai ler


2 co-mentários:

Pensamentos Soltos disse...

"Pois eu escrevo pra quem nunca vai ler"
Triste e, ao mesmo tempo, tão perfeito.


É sempre um prazer ler o que você escreve!

Maria Clara Dunck disse...

Há quem julgue o poeta como aquele que sente uma vontade imensa de ser lido, pra mim, poeta é, antes de tudo, aquele que sente uma vontade imensa de ler o outro.

Blogged.com