22 agosto 2011

Errante

Ando ao acaso: caso, descaso, caso e descaso
De tanto descaso ao acaso, o caso é acatar o agora
Doravante perco o tempo, a rima, o ritmo
Acerca de você, eu me cerco

Hoje pode ser o dia
O dia da lembrança
Hoje e agora
Sem sombra, sem memória

Essa hora eu aproveito, deito e deleito
O antes eu não lembro
Só sento, sinto... não lamento
O futuro está lá fora

2 co-mentários:

Elisa Marques disse...

Lindo! Gostei muito do seu estilo de escrever... Abraço!

Patricia disse...

E o futuro também está aqui dentro.

Blogged.com