10 junho 2010

Voo-não-voou

Cogito um agito
Enceno um aceno
Abraço o cansaço e durmo

Venço um vício
Pago o preço
Cobro da cobra
O que eu mereço

De fato era ainda feto
Tonto tanto quanto
Afetava mesmo era o afeto
Certo é ser incerto

Fato é que nem abraço cogito
E aceno para o cansaço
Que mereço outro vício
Blogged.com